Skip navigation

Monthly Archives: Março 2009

 

bukowski1

drunk again at 3 a.m. at the end of my 2nd bottle
of wine, I have typed from a dozen to 15 pages of
poesy
an old man
maddened for the flesh of young girls in this
dwindling twilight
liver gone
kidneys going
pancrea pooped
top-floor blood pressure
while all the fear of the wasted years
laughs between my toes
no woman will live with me
no Florence Nightingale to watch the
Johnny Carson show with
if I have a stroke I will lay here for six
days, my three cats hungrily ripping the flesh
from my elbows, wrists, head
the radio playing classical music …
I promised myself never to write old man poems
but this one’s funny, you see, excusable, be-
cause I’ve long gone past using myself and there’s
still more left
here at 3 a.m. I am going to take this sheet from
the typer
pour another glass and
insert
make love to the fresh new whiteness
maybe get lucky
again
first for
me
later
for you

Charles Bukowski, Here I Am

 

Foto: o velho gaiteiro que eu odeio adorar.

Anúncios

barfly

Wanda: I can’t stand people, I hate them.
Henry: Oh yeah?
Wanda: Do you hate them?
Henry: No, but I seem to feel better when they’re not around

Charles Bukowski´s Barfly

este blog não é do clube de fãs de Mickey Rourke, apesar de parecer.

Esta é para o Hugo, que me pediu para lembrar o poema. Ele é que mo lembrou a mim.

 

2008-aqma

Queria deixar-te como te encontrei:

um sorriso juvenil do qual criámos

uma estação sem vento, onde o amor

vive em cada retrato nu e nas palavras

florescia o amor cru do poema. Assim o

fazíamos crer. Somos tão melancólicos

e tão estúpidos. Como se o tempo, ou

as palavras ou as imagens que recordamos

ainda tantos anos depois fossem algo mais

que esta fotografia. Toda esta caligrafia do

teu corpo. O retrato tinha a minha angústia,

as palavras o teu rosto. Lembra o poema.

 

É o que nos resta daquele mês de Agosto.

 

 

Foto: Aquele querido mês de Agosto, Miguel Gomes

Acho realmente muita piada e confesso que vejo diariamente a partir de que palavras chegam pessoas até aqui. Se já anteriormente havia referênciado uma de rachel weisz, a mais procurada de todas, acho que devo evidenciar a mais recente aquisição a esta lista de preciosidades. Alguém aqui chegou procurando por fotos do mar engolindo cidade. Diz-se Tsunami senhor(a), Tsunami. E deixo este post inútil ao cuidado do Chico, o Poseídon de Bevenden.

Finalmente, parece que desta é que vai ser! Dia 5 de Maio, no Incrível Almadense, só um mau agoiro me impedirá de ir desta vez.

Em todo o meu percurso universitário, a lição que mais retive foi de Alberto Pimenta, que numa aula recheada de miúdos que o queriam impressionar diz:  Vocês levam-se muito a sério, não levam?

paulo | entreovivo.blogspot.com diz: mas é muita palhaçada, parece que voltaram ao liceu onde a malta fixe só se dá com a malta fixe, e o rogério casanova é um estrangeiro bonito e chegou ao liceu e vai logo para perto da malta fixe. e depois nos intervalos e nas aulas só conseguem dizer ” e o rogério fez aquilo, e o rogério fez isto, e eu sou amigo do rogério” .
 
Anda tudo doido com o Twitter mas as opiniões mais sóbrias e inteligentes ainda as leio no old fashioned MSN. Que o homem seja inteligente, divertido, e escreva realmente bem, nada a apontar. Mas sinceramente acho que teria muito mais piada ele não ter comparecido a esse jantar. Enfim, um homem tem de comer, não é?
nota: o Paulo não disse aquilo de forma invejosa, ele até tem o livro do referido senhor e vai convidá-lo a colaborar na revista dele. Só não o quer é conhecer pessoalmente.
 
 
 
 
 
 
 

 

 

 

063

 

tirada em Salamanca

À Cat, pelo seu quarto de século

img048

 

Passamos pelas coisas sem as ver,
gastos, como animais envelhecidos:
se alguém chama por nós não respondemos,
se alguém nos pede amor não estremecemos,
como frutos de sombra sem sabor,
vamos caindo ao chão, apodrecidos.

Eugénio de Andrade, as mãos e os frutos

 

a foto tirei eu