Skip navigation

Monthly Archives: Maio 2009

katia_Chausheva_-_untitled

arrepia

só de imaginar que respiras.

 

Ana Salomé, Ode da pele

 

Foto: Katia Chausheva, untitled

Anúncios

Kristian “Varg” Vikernes, ao fim de 16 anos, é solto da prisão. O homem já não me interessa há uns anos. A música continua a afectar-me.

S.T.S.

Se eu pudesse dizer-te: — senta aqui

nos meus joelhos, deixa-me alisar-te,

ó amável bichinho, o pêlo fino;

depois, a contra-pêlo, provocar-te!

Se eu pudesse juntar no mesmo fio

(infinito colar!) cada arrepio

que aos viajeiros comprazidos dedos

fizesse descobrir novos enredos!

Se eu pudesse fechar-te nesta mão,

tecedeira fiel de tantas linhas,

de tanto enredo imaginário, vão,

e incitar alguém — Vê se adivinhas…

            Então um fértil jogo amor seria.

            Não este descerrar a mão vazia!

 

Alexandre O´nell, Seis poemas confiados à memória de Nora Mitrani, poema II

 

Foto: Eva Matos,  S.T.S.

 

Obrigado à Beta, por me contar a história.

Porque há dias assim, e as imagens de gatinhos em cestos estão muito batidas.

monica_bellucci

Não tens noção

de quanto é corpo

o corpo

nem desejo

 

Anjo

 

Voando sobre

o que é baixo

 

Sob…

 

Voando sob

o que é por baixo

 

Maria Teresa Horta, Os Anjos

 

 

Foto: Monica Bellucci

2004-Mar-Adentro

Mar adentro,
mar adentro.

Y en la ingravidez del fondo
donde se cumplen los sueños
se juntan dos voluntades
para cumplir un deseo.

Un beso enciende la vida
con un relámpago y un trueno
y en una metamorfosis
mi cuerpo no es ya mi cuerpo,
es como penetrar al centro del universo.

El abrazo más pueril
y el más puro de los besos
hasta vernos reducidos
en un único deseo.

Tu mirada y mi mirada
como un eco repitiendo, sin palabras
‘más adentro’, ‘más adentro’
hasta el más allá del todo
por la sangre y por los huesos.

Pero me despierto siempre
y siempre quiero estar muerto,
para seguir con mi boca
enredada en tus cabellos.

 

Ramón Sampedro, Mar Adentro

 

Foto: Alejandro Amenábar, Mar Adentro

Ainda sem palavras relativamente à noite de ontem. Esta é para os amigos com quem a partilhei.

the_failed_escape

percorrendo as palavras com estilhaços, a intensidade

de um grito devasta o que lentamente se constrói.

 

não é álcool, não é sangue,

é a carne que se incendeia.

 

sodoma não arde.

sodoma é fogo.

 

Foto: Aires Ferreira, The Failed Escape