Skip navigation

Category Archives: imago

Il giorno può morire e poi risorgere,
ma quando muore il nostro breve giorno,
una notte infinita dormiremo.

ou no original:

Soles occidere et redire possunt:
nobis cum semel occidit brevis lux,
nox est perpetua una dormienda.

Catulo, Carmina V

 

Foto: Paulo Nozolino, Far Cry

No duerme nadie por el cielo. Nadie, nadie.
No duerme nadie.
Las criaturas de la luna huelen y rondan sus cabañas.
Vendrán las iguanas vivas a morder a los hombres que no sueñan
y el que huye con el corazón roto encontrará por las esquinas
al increíble cocodrilo quieto bajo la tierna protesta de los astros.

 

Frederico Garcia Lorca,  Ciudad sin Sueño

 

Para quê ser Pop quando se pode ser Rock?

TwoLoversALP6-29-09

 

Si tu veux nous nous aimerons
Avec tes lèvres sans le dire
Cette rose ne l’interromps
Qu’à verser un silence pire

Stéphane Mallarmé, Si tu veux nous nous aimerons

 

 

Foto: Two Lovers, James Gray

(prometo em breve tentar falar um pouco deste filme)

jose-lezama-lima

 

Aquí llegamos, aquí no veníamos,

fijo la nebulosa,

borro la escritura,

un punto logro y suelto la espiral.

 

Poema e Foto: José Lezama Lima

2002

Tudo é negro menos os nossos olhos

 

Mão Morta, Vertigem

 

Foto: tirada no saudoso ano de 2002.

James-Dean

Dying
Is an art, like everything else,
I do it exceptionally well.

 

Sylvia Plath, Lady Lazarus

 

Foto: James Dean

katia_Chausheva_-_untitled

arrepia

só de imaginar que respiras.

 

Ana Salomé, Ode da pele

 

Foto: Katia Chausheva, untitled

S.T.S.

Se eu pudesse dizer-te: — senta aqui

nos meus joelhos, deixa-me alisar-te,

ó amável bichinho, o pêlo fino;

depois, a contra-pêlo, provocar-te!

Se eu pudesse juntar no mesmo fio

(infinito colar!) cada arrepio

que aos viajeiros comprazidos dedos

fizesse descobrir novos enredos!

Se eu pudesse fechar-te nesta mão,

tecedeira fiel de tantas linhas,

de tanto enredo imaginário, vão,

e incitar alguém — Vê se adivinhas…

            Então um fértil jogo amor seria.

            Não este descerrar a mão vazia!

 

Alexandre O´nell, Seis poemas confiados à memória de Nora Mitrani, poema II

 

Foto: Eva Matos,  S.T.S.

 

Obrigado à Beta, por me contar a história.

architecture-03

E por vezes as noites duram meses
E por vezes os meses oceanos
E por vezes os braços que apertamos
nunca mais são os mesmos E por vezes

encontramos de nós em poucos meses
o que a noite nos fez em muitos anos
E por vezes fingimos que lembramos
E por vezes lembramos que por vezes

ao tomarmos o gosto aos oceanos
só o sarro das noites não dos meses
lá no fundo dos copos encontramos

E por vezes sorrimos ou choramos
E por vezes por vezes ah por vezes
num segundo se envolam tantos anos.

 

David Mourão Ferreira,  E por vezes

 

Foto: Andrea Sousa, sem título

93_94_benfica_93_94

When Vasco da Gama captained Benfica,

those were the glory days. Vasco led

from the back, with Nick Coelho as keeper,

and his brother Paulo as inside-forward,

 

and Leonard Ribeira, an old fashioned winger

(except when eyeing the girls in the crowd),

and the spinter Fernão Veloso as striker,

with Diogo and Álvaro, all proud to wear red.

 

Those were the times of adventures and clout,

with Dom Manoel our manager-trainer

and Peru de Covilhã our roving scout.

 

Today we´re trophy less, bankrupt and disdainerd,

longing for Sebastian, cresting some tidal wave

on his surf-board, to alight in the Algarve.

 

Landeg White, Fado

 

Foto: quando ainda se jogava futebol.